Quer agendar um show?
Escreva: oficialdance@gmail.com
Ligue: (11)985636779
Acesse: WordPress Contratantes / Imprensa

RELEASE

Para tocar rock com convicção e viver de música no país dos ritmos de carnaval e de verão duas coisas são essenciais: força de vontade e amor pelo que se faz. E isso o DANCE OF DAYS tem de sobra. Em 1997 saíram das garagens, pegaram a estrada e nunca mais a abandonaram! Com sonoridade ímpar que remete ao punk rock melódico e ao rock nacional dos anos 80 e letras poéticas mescladas com literatura – o vocalista Nenê Altro também é escritor! – e metáforas mitológicas, o DANCE OF DAYS conquistou gerações de fãs fervorosos e fiéis ao longo de seus DEZ álbuns, SEIS singles e eps, DOIS dvds e do número incontável de shows que fizeram por todo país.

O Dance of Days nasceu após o fim do PERSONAL CHOICE, seminal banda de hardcore de São Paulo, da qual seu vocalista Nenê Altro também foi frontman de 1993 a 1996. Seu primeiro single “Six First Hits”, de 1997, cravou o início de sua história e foi aclamado pela revista Rock Press como um dos melhores lançamentos do ano ao lado do “The Colour And The Shape” do Foo Fighters e do “Os Cães Ladram Mas A Caravana Não Para” do Planet Hemp! Fizeram grandes shows, muitos ao lado de bandas parceiras desde o início de suas carreiras, como o Dead Fish, tocando em Vitória, Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e em todo circuito hardcore que existia na época. O ponto alto dessa fase em que a banda ainda cantava em inglês foi sua apresentação neste mesmo ano na terceira edição do Goiânia Noise Fest.

Mesmo com esse começo grandioso o Dance of Days tinha sede de mais. Mais estrada, mais shows, mais voz. Após sentirem que, apesar dos shows estarem sendo incríveis, queriam tocar também em muitos outros lugares e que tinham muito a dizer para vários outros públicos, não apenas do hardcore, em 1998 a banda parou, se reformulou, mudou e o Dance of Days decidiu em 1999 começar a fazer ROCK! Puro, sincero, simples e sem vínculos exclusivos a qualquer tipo de cena. Rock em português e pra quem quiser ouvir, independente de ser punk, hardcore, grunge, metal, roqueiro, todos seriam bem vindos aos shows e essa se tornou a filosofia da banda! Isso tudo, é claro, sem afetar sua identidade e suas raízes.

Em 2001 lançaram seu primeiro álbum com essa mentalidade mais aberta, o “A História Não Tem Fim”, que marcou realmente a “história” daquela geração. Com ele conseguem cadeira cativa no tradicional Hangar 110, casa que sempre lotam desde então. No mesmo ano surpreendem em sua apresentação no programa Muzikaos da TV Cultura, com a qual atingem todo país. Após essa apresentação na TV os convites para shows não param de chegar e o Dance of Days cruza as barreiras estaduais, com apresentações em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e por todo interior paulista. Em 2002 já emendam seu segundo álbum, “Coração de Tróia”, com o qual alcançam o nordeste do país e também saem em tour com o AVAIL, de Richmond, USA.

Mas foi com seu álbum de 2004, “A Valsa de Águas Vivas”, que o Dance of Days estourou para um público maior e recebeu destaque em várias revistas de rock com a participação de Fernanda Takai, do Pato Fu, na faixa “Adeus Sofia”, e de Badauí do CPM22 na faixa “Vai Ver É Assim Mesmo”, que se mantiveram por muito tempo no top 10 da programação da Brasil2000 FM e levaram a banda a ser destaque no festival São Paulo Independente, produzido pela rádio. O álbum, considerado por muitos um marco do novo rock nacional, também contou com a participação de Jair Naves (na época do Ludovic) na faixa “Dorian” e de Henrike do Blind Pigs na faixa “Cem Mil Bolas de Neve”. Com “A Valsa de Águas Vivas” o Dance of Days encabeçou de todos os grandes festivais que aconteceram na época em São Paulo, no ABC, em Belo Horizonte e Balneário Camboriú.

Seu álbum seguinte, “Lírios Aos Anjos”, de 2005 e seu primeiro DVD, “Metrópoles Em Chamas”, de 2006, tem tours grandiosas por todo país e lhes rendem a capa da Dynamite, matérias na Folha, Jornal Hoje (TV Globo) e em diversos portais. Toda essa exposição os leva em 2007 à décima quinta edição do Abril Pro Rock em Recife e ao Porão do Rock em Brasília. No mesmo ano gravam o álbum “Insônia 2008” com o qual excursionam novamente e ganham espaço no Jornal da Mtv. A música “Ao Que É Bom Nessa Vida”, de seu álbum seguinte, “A Dança Das Estações”, recebe vídeo clipe cinematográfico com crianças e destaque na programação nacional da emissora. O álbum também inaugurou o projeto pioneiro “álbum virtual” de João Marcelo Bôscoli, promovido pela Trama em 2008, chegando a ter mais de quinze mil downloads. Aliás, o DANCE OF DAYS foi banda campeã de downloads (um milhão) e streamings (três milhões) no Tramavirtual até o fim das atividades do portal em 2013!

Continuando sua saga de conquistas, gravam em 2009 seu primeiro cd ao vivo e DVD, “Canções Proibidas”, mais uma vez lotando o Hangar 110. Em 2010, gravam um cd sem nome remetendo à suas raízes no punk hardcore, que ganhou o apelido de “Disco Preto”, uma piada devido a banda ter lançado um dos álbuns mais pesados de sua história com a arte toda preta para contrapor a “onda colorida” que se alastrava pelo rock nacional. Enfim, desde que botou seus pés na estrada, o DANCE OF DAYS não parou de tocar jamais! Em 2012 reuniram milhares de fãs em histórica apresentação na Virada Cultural de São Paulo, literalmente parando todas as ruas em torno da região da Praça da República, no coração da metrópole. Recentemente foram convidados para celebrar, ao lado do Dead Fish, o show de reinauguração do tradicional Kazebre Rock Bar, no qual tocaram para mais de 5000 pessoas.

Atualmente a banda está executando um dos projetos mais grandiosos de sua carreira, após um grande planejamento e com muita disposição. Em 2013 lançaram o EP “Na Estrada”, em Janeiro de 2014 o EP “Não Maltrates Teu Coração” e agora em Setembro de 2014 o EP mais recente, “O Melhor Tempo de Sua Vida”. Esses três EPs fazem parte de uma série de QUATRO EPS que, no início de 2015 formarão O MAIOR DISCO DE ESTÚDIO DA CARREIRA DA BANDA (a junção da capa desses quatro singles é um quebra-cabeças que formará a capa desse novo álbum de estúdio). Ou seja, num intervalo médio de apenas seis meses entre cada um desses novos EPs o Dance of Days está cumprindo um cronograma de entrar quatro vezes em processo de composição, de gravação, de lançamento e encarando quatro tours de divulgação!

E Nenê Altro (42), vocalista, Marcelo Verardi (36), guitarrista, Fausto Oi (34), baixista e Samuel Rato (34), baterista, seguem com a mesma vontade de estrada de quando começaram! Seria então uma banda fazer o que gosta com paixão, dedicação e muita sede de tocar a receita para tamanha energia e longevidade? O Dance of Days diz que SIM e prova isso a cada dia… em sua dança dos dias!

DANCE OF DAYS É:
Nenê Altro – Vocal, harmonias de voz e letras.
Fausto Oi – Baixo e vocal.
Marcelo Verardi – Guitarra e vocal.
Samuel Rato – Bateria e vocal.

ALBUNS:
“A História Não Tem Fim” (CD) – 2001
“Coração de Tróia” (CD) – 2002
“1997/1998″ (CD) – 2003
“A Valsa de Águas Vivas” (CD) – 2004
“Lírios Aos Anjos” (CD) – 2005
“Insônia 2008″ (CD) – 2007
“A Dança das Estações” (VIRTUAL ALBUM / CD) – 2008 and 2011
“Canções Proibidas” (CD AO VIVO + DVD) – 2009
“Disco Preto” (CD) – 2010
“Arquivos Mortos Vivos” (CD bootleg) – 2011

SINGLES E SPLITS:
“6 First Hits” (CD-EP) – 1997 e 2000
“Split Bike” (CD split c/ Dominatrix) – 2001
“Corona Australis” (FLEXI VINIL 7″) – 2011
“Na Estrada” (CD-EP) – 2013
“Não Maltrates Teu Coração” (CD-EP) – 2014
“O Melhor Tempo De Sua Vida” (CD-EP) – 2014

DVDs:
“Metrópoles Em Chamas” – 2007
“Canções Proibidas” – 2009

PARCEIROS:
Estúdio Espaçosom
Hearts Bleed Blue
Sick Mind
Zucato Tattoo